Envie seu whats:
(54) 99673-0977


ENTRETENIMENTO Ver +

Pop it: cientistas dizem que brinquedo pode ajudar a controlar ansiedadePop it: cientistas dizem que brinquedo pode ajudar a controlar ansiedade

Compartilhe:
Publicado em 11/10/2021, Por TecMundo

Se você convive com uma criança, provavelmente já ouviu falar nele: o pop it. Esse fidget toy — termo em inglês para definir brinquedos que, segundo sua propaganda, são redutores de ansiedade — é o mais recente a invadir as prateleiras das lojas (virtuais e físicas). Mas será que o pop it realmente reduz o estresse? E uma criança pode mesmo ser estressada? Veja a seguir o que cientistas descobriram recentemente sobre o brinquedo que promete ser um dos campeões em pedidos nesse Dia das Crianças.

Fidget, em inglês, significa inquietação. A palavra foi associada à realização de pequenos movimentos, principalmente das mãos e dos pés. O pop it entra na classe de brinquedos que funcionam como válvula de escape para este comportamento. Antes fazíamos isso clicando a caneta, mexendo as pernas, estourando plástico bolha, estalando os dedos ou girando os famosos — e agora um tanto obsoletos — spinners, aqueles brinquedos que viraram “febre” em 2017.

Pop it reduz o estresse?

A resposta curta para a pergunta é que “sim”, o pop it, uma versão reutilizável do plástico bolha que vem em todas as cores, tamanhos e quantidades de bolinhas, pode mesmo reduzir o estresse e relaxar o corpo e o cérebro tanto de adultos, quanto de crianças.

A professora de Mídia Computacional da Universidade da Califórnia em Santa Cruz (Estados Unidos), Katherine Isbister, escreveu um artigo sobre o tema no site americano The Conversation. Ela e seus colegas passaram os últimos anos estudando como crianças e adultos interagem com esses objetos. Para a especialista, o uso desses brinquedos não é apenas uma “febre” que logo desaparecerá.

Por que ficamos inquietos?

Costumamos ficar inquietos ao realizar uma tarefa longa ou em situações em que precisamos ficar parados e atentos por muito tempo, como uma reunião comprida. Segundo Katherine, as pessoas costumam relatar que mexer em um objeto com as mãos ajuda a manter a atenção: brinquedos como o pop it — ou um pen drive, um clipe de papel, o que estiver ao alcance das mãos — acabam funcionando como um ajuste fino para foco.

A estudiosa relatou em seu artigo que a pesquisa em psicologia sobre a busca de sensações ensina que as pessoas frequentemente tentam ajustar suas experiências e ambientes para que forneçam o nível certo de estimulação. E pessoas diferentes funcionam bem em circunstâncias diferentes — alguns gostam de silêncio total para se concentrar, enquanto outros gostam de trabalhar em ambientes agitados e barulhentos.

“As pessoas ajustam seus ambientes para fazer as coisas da maneira certa — por exemplo, colocando fones de ouvido em um ambiente de escritório barulhento para mudar para menos ruído perturbador”, afirmou Katherine. Ela explicou que uma pessoa pode achar útil usar um item como o pop it para manter o foco e a calma, ao mesmo tempo em que fica parada.

E no caso de crianças? Elas são estressadas? Não necessariamente. Mas na pesquisa de Katherine, os pequenos falaram sobre como os fidget toys os ajudam a controlar as emoções. “Eles podem apertar uma bola antiestresse quando estão com raiva, ou acariciar um brinquedo macio e felpudo quando estão ansiosos”, exemplificou a cientista.

Impacto dos fidget toys

Katherine ressaltou que ainda não houve uma pesquisa definitiva sobre o impacto desses brinquedos, mas em um estudo preliminar, alunos da sexta série que usaram fidget toys durante a aula relataram que sua “atitude, atenção, habilidades de escrita e interação com os colegas melhoraram”.

Há indícios — que ainda precisam ser comprovados por estudos mais abrangentes — de que brinquedos como o pop it podem ajudar pessoas com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Katherine já uniu forças para uma nova pesquisa com a professora de ciências comportamentais Julie Schweitzer. O objetivo delas é entender melhor como o uso de fidget toys pode ajudar na concentração das pessoas.

Para o futuro, novos brinquedos do tipo devem ser desenvolvidos — e com mais funcionalidades. Katherine inclusive já atuou como consultora para o desenvolvimento de alguns.

(FOTO: FREEPIK / REPRODUÇÃO / TECMUNDO)




Podcasts

Ver + ENTREVISTA Luciana Maria Crestani, Karen Raymundi Fincatto, Michela Caron | Programa Inclusão
ENTREVISTA Neiva Borges Godinho e Caroline Bonoto | Aapecan
ENTREVISTA Dr. Cássio Cuchi | Oftalmologista