Envie seu whats:
(54) 99673-0977


MUNDO

Banco Mundial reduz previsão de crescimento global a 2,9% e fala em “estagflação”Banco Mundial reduz previsão de crescimento global a 2,9% e fala em “estagflação”

Compartilhe:
Publicado em 07/06/2022, Por O Sul

O Banco Mundial reduziu nesta terça-feira (07) sua previsão de crescimento global em 1,2 ponto percentual, para 2,9% em 2022, e alertou que a invasão da Ucrânia pela Rússia agravou os danos da pandemia de Covid-19, o que fará com que muitos países provavelmente entrem em recessão.

A invasão russa da Ucrânia ampliou a desaceleração da economia global, que está agora entrando no que pode se tornar “um período prolongado de crescimento fraco e inflação elevada“, disse o Banco Mundial em seu relatório Perspectivas Econômicas Globais.

O presidente da instituição, David Malpass, afirmou que o crescimento global atualmente é prejudicado pela guerra, novos bloqueios relacionados à Covid-19 na China, interrupções na cadeia de suprimentos e o risco de estagflação, um período de crescimento fraco e alta inflação visto pela última vez na década de 1970.

“O perigo de estagflação é considerável hoje”, escreveu Malpass no prefácio do relatório. “O crescimento moderado provavelmente persistirá ao longo da década por causa do fraco investimento na maior parte do mundo. Com a inflação agora atingindo máximas em várias décadas em muitos países e a oferta devendo crescer lentamente, existe o risco de que a inflação permaneça mais pressionada por mais tempo.”

Entre 2021 e 2024, o crescimento global deverá desacelerar em 2,7 pontos percentuais, disse Malpass, mais que o dobro da desaceleração observada entre 1976 e 1979. O relatório alertou que as elevações das taxas de juros necessárias para controlar a inflação no fim da década de 1970 foram tão acentuadas que desencadearam uma recessão global em 1982 e uma série de crises financeiras em mercados emergentes e economias em desenvolvimento.

Embora existam semelhanças com as condições da época, também há diferenças importantes, incluindo a força do dólar norte-americano e preços do petróleo de forma geral mais baixos, bem como balanços geralmente fortes nas principais instituições financeiras.

Para reduzir os riscos, autoridades devem trabalhar para coordenar a ajuda à Ucrânia, combater o aumento dos preços do petróleo e dos alimentos, intensificar o alívio da dívida, fortalecer os esforços para conter o coronavírus e acelerar a transição para uma economia de baixo carbono, afirmou Malpass.

O banco prevê forte desaceleração no crescimento global de 5,7% em 2021 para 2,9% em 2022, com crescimento próximo desse nível em 2023 e 2024. O organismo internacional disse que a inflação global deve moderar no próximo ano, mas provavelmente permanecerá acima das metas em muitas economias.

(FOTO: REPRODUÇÃO)





Podcasts

Ver + JORNAL RSA NEWS Jornal dia 30 de Junho
Programa Pílulas de Felicidade | com Maria Adelaide Programa dia 29 de Junho
JORNAL RSA NEWS Jornal dia 29 de Junho