Envie seu whats:
(54) 99673-0977


MUNDO

Resultados das fases 1 e 2 de vacina russa mostram que 100% dos voluntários desenvolveram anticorposResultados das fases 1 e 2 de vacina russa mostram que 100% dos voluntários desenvolveram anticorpos

Compartilhe:
Publicado em 04/09/2020, Por Correio do Povo

A vacina russa “Sputnik-V”, a primeira do mundo contra a Covid-19 a ser anunciada e fortemente criticada pela falta de divulgação dos resultados dos testes das fases 1 e 2, produziu uma resposta de anticorpos em todos os participantes, de acordo com estudo publicado nesta sexta-feira pela revista médica The Lancet. Os resultados dos dois testes, conduzidos entre junho e agosto deste ano, envolvendo 76 participantes, mostraram que 100% dos voluntários desenvolveram anticorpos e nenhum efeito colateral sério.

"Estas descobertas de dois estudos abertos de fase 1/2 não randomizados de uma vacina Covid-19 heteróloga de reforço inicial com base em vetores adenovirais recombinantes rAd26-S e rAd5-S mostram que a vacina é segura, bem tolerada e induz humoral forte e respostas imunes celulares em 100% dos participantes saudáveis. Todos os eventos adversos relatados foram principalmente leves. As reações sistêmicas foram dor no local da injeção, hipertermia, dor de cabeça, astenia e dores musculares e articulares, que são típicas para vacinas baseadas em vetores virais recombinantes", afirmam os pesquisadores liderados por Denis Y. Logunov.

Entre 18 de junho e 3 de agosto de 2020, 76 adultos saudáveis (com idades entre 18 e 60 anos) foram inscritos nos dois estudos: 38 participantes foram incluídos em cada um e cinco pessoas foram mantidas como voluntários de apoio em caso de desistência (duas para a fase 1 e três para a fase 2). Do total, 53 (70%) eram homens e 23 (30%) mulheres. Na fase 1 de cada estudo, dois grupos de nove voluntários receberam uma dose de vetor de adenovírus recombinante tipo 26 (rAd26) ou vetor de adenovírus recombinante tipo 5 (rAd5).

Na fase 2, outro grupo de 20 voluntários adultos saudáveis ​​em cada estudo recebeu doses sequenciais de rAd26-S seguidas de rAd5-S de uma das duas formulações. Os eventos adversos foram principalmente leves: dor no local da injeção (58%), hipertermia (50%), dor de cabeça (42%), astenia (28) e dores musculares e articulares (24%). Os efeitos colaterais ocorreram com frequência semelhante para cada vetor de vacina, com cada formulação e após cada dose.

"Eventos adversos sérios não surgiram neste pequeno corte. Ambas as formulações da vacina foram imunogênicas em todos os participantes, induzindo respostas humorais neutralizantes e mediadas por células. Na fase 2, 85% dos participantes tinham anticorpos detectáveis ​​14 dias após a dose inicial, aumentando para 100% no dia 21, com aumentos substanciais após a dose de reforço", diz o texto publicado pela Lancet.

(FOTO: FREEPIK)





Podcasts

Ver + ENTREVISTA Pe. Ivaldo Grison | Paróquia São José Operário
ENTREVISTA José Danilo | Cartório 95ª Zona Eleitoral - Sananduva
ENTREVISTA Egidio Loregian | Presidente Cooperativa Majestade